quinta-feira

A ciência começa a explicar por que praticantes de ioga... Ou porque você deve começar a fazer

A ciência começa a explicar por que praticantes de ioga narram sensações de conforto físico e mental.

Os pesquisadores submeteram adeptos a exames que medem a atividade elétrica do cérebro e descobriram que a calma e a clareza de ideias relatadas pelos alunos se devem aos efeitos da ioga sobre a atividade dos neurônios.

Ao centrar a atenção em nossa respiração e nos mantras, mandamos para o cérebro a mensagem de que ele pode desacelerar. Com isso, aumentam as ondas cerebrais do tipo alfa, associadas ao estado de atenção relaxada.
Leia também: 
Como fazer meditação e não desistir 
Meditação, melhorando as funções mentais e emocionais
É o suficiente para manter nosso raciocínio afiado, mas sem aumentar a ansiedade. Em novembro, cientistas americanos anunciaram a descoberta de mais um mecanismo de atuação da ioga sobre o bem-estar.

A equipe do neurologista Chris Streeter, da Escola de Medicina da Universidade Boston, constatou que o cérebro de praticantes tinha quantidade maior de uma substância relacionada a baixos níveis de ansiedade.

A divulgação desse tipo de estudo teve um papel importante para consolidar a ioga como algo mais do que uma crença ou um simples exercício. “As pesquisas s estão ajudando a desmistificar a ioga”, diz o psicofisiologista Marcello Árias Dias Danucalov, que estuda os efeitos da prática sobre o cérebro.

“As pessoas entenderam que a ioga é autoconhecimento sem misticismo.”

Leia mais, aqui.

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

terça-feira

Como aumentar o tamanho do seu espaço com medidas simples

Claro que o tamanho, a dimensão do espaço é um fato, mas a sua percepção e uso podem ser significativamente alterados sem que se mexa em um centímetro de parede ou parte física do dito cujo.

Um fator fundamental ao ambiente é a luz, que pode alterar a forma, e dimensão, de como o percebemos e como nos sentimos dentro dele.

As cores de móveis, pisos e paredes, que têm tudo a ver com o conceito de luz, são outros fatores fundamentais para esta percepção – como poderíamos dizer? – espacial. O que pode se traduzir em mais conforto e bem estar.

Alguns itens são exemplos típicos do que estamos falando. Um piso escuro e móveis igualmente escuros, e muito grandes, bem como cortinas escuras e ‘pesadas’ aliados às paredes igualmente muito coloridas e escuras, dão certo peso ao espaço/ambiente, sem que a gente se dê conta disso.

Então, a ideia é suavizar tudo isso.

Começando por lixar o piso – claro se de madeira – deixando-o bem mais claro, trocar os móveis escuros, ou se fizer conta de mantê-los, ver se um marceneiro dá um trato no verniz que o reveste, clareando-o, trocar as cortinas por algo bem mais leve, mais claro, limite-se ao “blackout” para efeito de escurecer o ambiente quando necessário, e, por fim, redistribuir os móveis nos ambientes deixando estrategicamente mais espaços, entre eles.

Além de trocar, e suavizar, a pintura das paredes, outro item, também, importante, é suprimir ‘detalhes’ na decoração que possam adicionar mais “peso” ao ambiente.

Como vê, não é nada de tão complicado assim, e o efeito pode surpreender.

Publicado originalmente em Como fazer você mesmo

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

domingo

Veja alguns pontos para reflexão por um melhor Natal em família


O Natal vem mudando tanto com o tempo que acabamos por – mesmo sem querer – fazer algum tipo de comparação com aqueles de nossa infância ou mesmo de algum tempo atrás, onde a “coisa” do Natal parecia pegar mais, ou seja, o espírito parecia outro.

É que hoje a mídia e as campanhas comerciais o transformaram radicalmente em mais um pretexto para grandes consumos e o tal do “espírito da ‘coisa” muitas vezes não entra nem como detalhe.

Nesta lista abaixo vai encontrar alguns pontos para reflexão no sentido de tentar resgatar um pouco do sentido original do Natal, sobretudo, em família.

- Vá com calma! Pare de se anular em nome do amor, porque quando você se abandona é justamente aí que você perde seu valor.

- Prepare-se para os encontros de família sem medo das discórdias, porque antes de serem familiares, todos ali são seres humanos, com qualidades, defeitos, culpas, ressentimentos, sonhos e medos diferentes.

- Ame muito, mas sem se sentir sugado e explorado. E  que este amor seja verdadeiramente incondicional e maduro – não cobre nem espere retorno, gratidão ou reconhecimento.

- Considere a decisão do perdão, porque mais do que um ato de amor, é uma atitude inteligente, de quem sabe que merece uma vida mais leve, sem o fardo pesado do ressentimento.

- Inclua a Providência Divina em seus pensamentos, palavras e ações. Lembre-se que você não precisa ser apreciado por pessoas, e sim, aprovado por Deus.

- Como disse a sábia Madre Teresa de Calcutá: “Dê ao mundo o melhor de você. Mas isso pode não ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo. Veja você que, no final das contas, é tudo entre VOCÊ e DEUS. Nunca foi entre você e os outros.” (bdci)

Como vê, vale à pena dar um parada e refletir um pouco, para não só fechar o ano bem, como, também, para criar um estado de espírito, em si mesmo e na família que facilite começar o próximo ano com outras perspectivas.

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

sexta-feira

Papa pede aos jovens que “se rebelem, questionem”. É um fio de esperança em meio ao ‘marasmo’


Não é a primeira vez que ele faz referencias do gênero, ainda mais neste momento em que vive o Brasil, onde, apesar das tentativas de depreciação, de esculhambação mesmo, promovida pela mídia local associada ao golpe, tentando fazer jus à grana gorda que andou recebendo a título de pagamento pela ‘cama de gato’ que fez nos corações e mentes de tantos brasileiros, o mobilização estudantil é um movimento que nos reporta a expressões muito bem vindas para ilustrar o que eles vêem fazendo: consciência e esperança.

Leia também:
O papa Francisco como zeloso cuidador da casa comum, o Planeta Terra
Lamentavelmente existe um contingente considerável de cidadãos que foi levado na lábia por esta mídia vendida, vai sofrer amargamente na pele os desdobramentos do golpe e da sujeição radical do Brasil aos interesses dos patrocinadores externos, e vai continuar procurando inutilmente o responsável, continuando a se “informar” nos jn/globos da vida

"Papa pede aos jovens que “se rebelem, questionem”
Durante seu primeiro encontro com os participantes da Jornada Mundial da Juventude, na Cracóvia (Polônia), nesta quinta-feira, 3, o Papa Francisco pediu aos jovens que que "se rebelem, questionem, sonhem, e evitem os caminhos obscuros"; "É lindo, e me conforta o coração vê-los tão revoltosos. É estimulante escutá-los, compartilhar seus sonhos, suas questões e sua vontade de se rebelar contra todos aqueles que dizem que as coisas não podem mudar. As coisas podem mudar, não é?!", disse Francisco para cerca de 600 mil pessoas.

Durante seu primeiro encontro com os participantes da Jornada Mundial da Juventude, na Cracóvia (Polônia), nesta quinta-feira, 3, o Papa Francisco pediu aos jovens que que "se rebelem, questionem, sonhem, e evitem os caminhos obscuros".

"É lindo, e me conforta o coração vê-los tão revoltosos. É estimulante escutá-los, compartilhar seus sonhos, suas questões e sua vontade de se rebelar contra todos aqueles que dizem que as coisas não podem mudar. As coisas podem mudar, não é?!", disse Francisco.

Para um público de cerca de 600 mil jovens, o papa se inspirou no discurso de Martin Luther King "Eu tenho um sonho", a favor dos direitos para os negros, para sacudir as consciências dos jovens dos cinco continentes e convidá-los a sonhar.

"Vocês são capazes de sonhar?", improvisou o Pontífice que falou também sobre a dor que sente em encontrar jovens que "se aposentaram antes do tempo", "que jogaram a toalha antes de começar o jogo", que estão "entregues antes de lutar", que estão "entediados e entediam".


 Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações

*

Share/Save/Bookmark

Tem certeza se o que está sentido, um estressezinho… É só isso?

Não custa dar uma olhada, já que muitas vezes não temos a mínima ideia do que está rolando com a nossa cabeça/mente e quando descobrirmos o “lance” já rolou e a coisa pode pegar, logo, a saída é ficar a par do que, de fato, está rolando com você, que estes “lances novos” podem não ser meras coisas passageiras.
A palavra "estresse" tem origem na palavra inglesa "stress", que significa "pressão", "tensão" ou "insistência". É uma reação do organismo com componentes psicológicos, físicos, mentais e hormonais que ocorre quando surge a necessidade de uma adaptação grande a um evento ou situação de importância. Ele pode ser causado pela ansiedade e pela depressão devido à mudança brusca no estilo de vida ou à exposição a um determinado ambiente, que leva a pessoa a sentir um determinado tipo de angústia.
()
Sintomas da fase de resistência:

Problemas com a memória; mal-estar generalizado; formigamento nas extremidades (mãos e/ou pés); sensação de desgaste físico constante; mudança no apetite; aparecimento de problemas de pele; hipertensão arterial; cansaço constante; gastrite prolongada; tontura; sensibilidade emotiva excessiva; obsessão com o agente estressor; irritabilidade excessiva; desejo sexual diminuído.
Fase de Exaustão: nessa fase podem surgem diversos comprometimentos físicos em forma de doença.
Sintomas da fase de exaustão:
Continue, aqui!
Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações
*

Share/Save/Bookmark